COVID-19 e Ambulância UTI Móvel

Saiba qual o exame ideal em cada situação

A testagem para diagnóstico do COVID-19, apesar de muito recomendada por médicos e especialistas, ainda gera muitas dúvidas em relação a qual tipo de exame fazer em cada estágio da doença.

O diagnóstico precoce do COVID-19 é muito importante para tomar as devidas providências de isolamento e, quando necessário, tratamento adequado. Além disso, a testagem ajuda no reconhecimento da disseminação do vírus e assim, poder agir no combate a sua expansão.

O vírus da COVID-19 age de forma rápida e imprevisível, o que pode agravar a situação do paciente em casa e necessitar de uma ambulância UTI móvel. A Brasil Emergências Médicas oferece um serviço de remoção domiciliar com ambulâncias de UTI para suporte avançado à vida para garantir o bem-estar e o atendimento e intervenção necessária durante o transporte.

A fim de esclarecer as possíveis dúvidas em relação aos exames do COVID-19, reunimos aqui algumas informações acerca do assunto!

Para que serve o teste da COVID-19?

A testagem é uma importante ferramenta para verificar o número de casos da região e pontos de foco de transmissão e, assim, combatê-la. Além disso, um diagnóstico precoce da doença pode auxiliar para tomar medidas a fim de amenizar os sintomas ou combater a doença. Outro ponto importante da realização da testagem para COVID-19, é identificar os possíveis transmissores da doença, que incluem até pacientes assintomáticos, e orientá-los ao isolamento social para conter a disseminação.

ambulancia uti movel para covid

Quais as diferenças entre os testes?

A partir dos diversos estudos e avanços em relação ao vírus Sars-CoV 2, a ciência desenvolveu diferentes tipos de testes, cada vez mais acessíveis e eficientes.

Cada exame apresenta um nível de sensibilidade e tem o momento indicado para ser realizado. Confira quais são e as suas diferenças:

  • Teste rápido

O teste rápido detecta a presença de anticorpos IgG (previamente) ou IgM (recentemente). Ele é realizado a partir da gota de sangue retirada na ponta do dedo do paciente e é chamado de imunocromatografia. A sua indicação é para que seja realizado apenas após sete dias depois do início dos sintomas, período em que é detectado a presença de anticorpos na fase aguda (IgM). Após onze dias de sintomas, o exame detecta os anticorpos na fase de convalescença da doença (IgG). A sua confiabilidade pode variar, apresentando muitos falsos negativos.

  • Teste RT-PCR

A Organização Mundial da Saúde considera o RT-PCR o teste padrão-ouro, por isso, é o mais indicado por profissionais da saúde. Ele é capaz de verificar se há a presença de material genético do vírus. Se o resultado for reagente, é porque a pessoa está com COVID-19. Ele não aponta se a pessoa teve contato com o vírus em algum momento. Sua realização é feita em laboratórios clínico e por meio de secreções respiratórias, retirados através de swab, na garganta ou no nariz (orofaringe e nasofaringe, respectivamente). Seu resultado pode levar alguns dias para sair. Se feito na janela de tempo adequada, o exame tem confiabilidade acima de 90%.

  • Teste sorológico

O teste sorológico atua na identificação de anticorpos, como o teste rápido, mas utiliza-se de um mecanismo diferente. Ele precisa ser feito em laboratório e é coletado através da punção de sangue do paciente. Há três tipos de teste sorológico: o CLIA, ELISA e imunofluorescência. Estes testes apresentam menor sensibilidade que o RT-PCR e se forem feitos logo no início dos sintomas, corre-se o risco de dar falso-negativo.

Todos os testes são devidamente registrados e aprovados pela Anvisa.

Afinal, qual eu devo fazer?

Como cada teste tem um mecanismo e deve ser feito em determinado estágio da doença para sua identificação adequada. O teste RT-PCR deve ser realizado enquanto sintomatologia ativa no paciente, sendo o mais recomendado entre o terceiro e sétimo dia. Após esse período, corre risco de o teste não detectar o RN do Sars-CoV-2 e o resultado apresentar falso-negativo.

Já os testes sorológicos e os testes rápidos devem ser feitos e conduzidos por profissionais capacitados e especializados para a leitura do resultado. Em casos de sintomas e resultado negativo, sempre procurar orientação médica e manter-se em isolamento social por 14 dias.

Ambulância UTI móvel. Como contratar uma?

Em tempos de COVID-19, a necessidade de ambulância UTI móvel para atendimentos de urgência e emergência tem sido recorrente, uma que além da demanda do dia a dia, agora tem-se também as vítimas do vírus Sar-CoV-2.

Em muitos casos, contar com serviço de ambulância UTI móvel pode salvar a vida do paciente, com um atendimento rápido, eficiente e veículos equipados com todos os instrumentos e aparelhos necessários para realizar um atendimento pré-hospitalar ou intervenção durante o trajeto.

A Brasil Emergências Médicas garante toda assistência necessária para realizar o atendimento, seguindo todos os protocolos, recomendações e normas vigentes, garantindo a segurança do paciente e profissionais de saúde.

Devido à alta contaminação da COVID-19, realizar todos os procedimentos de desinfecção da ambulância UTI móvel, dos aparelhos e superfícies, troca de materiais descartáveis, como máscara e luvas, e uso obrigatório de EPIs são medidas para conter a disseminação e contaminação do vírus.

Se você está à procura de ambulância UTI móvel ou para remoção simples, entre em contato com a Brasil Emergências Médicas para fazer um orçamento ou solicitar um de nossos serviços.

Contamos com uma equipe de profissionais altamente qualificada e treinada para realizar atendimentos de urgência e emergência, oferecendo a assistência necessária desde o primeiro contato do atendimento até finalizar o trabalho. Prezamos pelo cuidado, zelo e segurança de cada paciente.

Entre em contato conosco agora mesmo através do telefone ou do formulário em nosso site!

Leia mais: Ambulância em Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *